menu

Image Map

08 abril 2014

História da moda: chopines e os sapatos sem salto

Quem gosta de moda levanta a mão \o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/

Hahaha! Gente, um dos meus sonhos é fazer um curso de moda e é o que estou batalhando para conseguir. Mas enquanto não tenho oportunidade, fico por aí pesquisando sobre o assunto e foi aí que me surgiu uma grande ideia: fazer um quadro no blog pra mostrar pra vocês tudo que aprendo. Vai ser como meu caderno de anotações (só que compartilhado). O nome do quadro vai ser "História da Moda", então, todas as vezes que ver esse título, vem correndo! *-*

Pra começar, vamos saber um pouco da moda no século XV. Tem MUITA coisa pra falar sobre, mas resolvi começar com os chopines e sapatos sem salto que, já já você vai descobrir o que é!

Como sabemos, a indústria da moda é sempre muito criativa e inusitada e isso desde os anos 1500. Há um tempinho atrás, apareceram por aí, uns sapatos sem salto bem inusitado. Mas em uma versão menos extrema e mais saudável. Você deve conhecê-los por ser muito usado pela cantora Lady Gaga.


Reconheceram? Hahaha sim! Esse sapato que hoje é bem criticado, já foi moda no século XV. Em diversos lugares da Itália à China foram usados os chopines.

Chopine era um tipo de calçado com plataforma que, inicialmente, funcionava como um tipo de pedestal ou galocha para proteger os sapatos e os vestidos das mulheres ricas da lama e da sujeira da rua. As verdadeiras origens desse calçado, são desconhecidas, eles já eram usados pelos atores gregos e as mulheres turcas em balneários.


Estranho, não é? Antigamente, o andar do chopine era instável e deselegante. As mulheres que usavam, geralmente estavam acompanhadas de seus maridos ou empregados para poderem se equilibrar. Os que sobreviveram ao tempo são feitos de madeira ou de cortiça.

A mania de chopines da Itália coincidiu com o auge da atração por trajes extravagantes durante o ano de 1500. Os chopines venezianos eram artisticamente esculpidos e os chopines espanhóis eram cônicos e simétricos. Há também peças cobertas com ouro, brocados, veludos ou jóias bordadas. Muitas vezes, o tecido do chopine combinava com o vestido ou o sapato que anunciava a posição social da família.

Chopine com tecido e adornos de ouro
Chopine com tamanho exagerado
Além do seu uso prático, a altura do chopine, tornou-se referência ao nível cultural e social. Eles eram, normalmente, de 12 a 22 cm mas alguns modelos sobreviventes, chegam a 50 cm.

Na Itália renascentista, era utilizado também para alongar a silhueta e permitir mais espaço para a exposição do pano do vestido. Mas, para alguns estudiosos, o chopine foi uma ferramenta para manter as mulheres em casa, já que o andar exigia muito equilíbrio e tempo. Os clérigos adoravam porque, segundo eles, impedia a mulher de se entregar a prazeres moralmente perigosos, como a dança. Mas há quem diga que havia mulheres que, mesmo assim, dançavam graciosamente.


Não é de se admirar que hoje em dia, os sapatos tenham voltado com tudo, mas com um conceito um pouco modificado. Hoje em dia, a mulher se sente alta, superior e donatrix, surgindo aí, o desejo de parecer maior e se alongar e, alguns desses calçados de hoje são tão adornados - as vezes até mais - quanto os chopines venezianos.


Confesso que me assustei quando vi os primeiros chopines. Cultura é uma coisa muito interessante e se eu fosse fazer um post sobre isso, levaria meses e meses. Eram "sapatos" muito diferentes e mesmo hoje, com todas as adaptações, eu não teria coragem de usar. E vocês, o que acharam?